O futuro é logo ali. Conheça 5 tecnologias de grande impacto em 2022.

Com novas tecnologias constantemente batendo à nossa porta, é importante entender quais farão mais diferença ao serem aplicadas aos negócios.

Compreender seus respectivos funcionamentos e suas principais utilizações, são parte fundamental para definir as corretas estratégias de uso dentro das organizações.

Em uma pesquisa realizada pelo Gartner, que é líder mundial em pesquisas e consultoria para empresas, foram indicadas algumas das principais tendências em tecnologias que deveriam ser exploradas em 2022.

Hoje, falaremos sobre cinco delas:

- Espaços inteligentes:

Você já pode ter encontrado esse tópico sendo chamado por outros nomes, como: residências inteligentes, cidades inteligentes, fábricas conectadas, etc.

Todo esse conjunto de elementos estão ligados à ideia de espaços inteligentes. Mas, o que ele seria?

Um espaço inteligente pode ser um espaço digital ou físico em que a tecnologia e inovação são utilizadas na melhoria do dia a dia das pessoas, que interagem entre si e com sistemas, de forma inteligente, coordenada e automatizada.

Como isso pode ser aplicado dentro de uma empresa?

Com a tecnologia, muitas atividades repetitivas na rotina das equipes puderam ser delegadas às máquinas, podendo direcionar o trabalho dos colaboradores para funções mais inteligentes e de maior relevância, potencializando a produtividade.

Através de um espaço digital, é possível criar um ambiente de gerenciamento de equipes, onde é possível manter sintonia do time mesmo de forma remota.

- Inteligência artificial generativa:

A IA generativa é um método de machine learning, que é um método de aprendizado de máquina que consiste no aprendizado a partir de dados e os utiliza para gerar artefatos novos em folha.

Essa tecnologia pode ser aplicada nas mais variadas atividades, como por exemplo criar o código de um software, facilitar o desenvolvimento de medicamentos ou estratégias de marketing direcionado.

- Data fabric:

Os dados são ativos importantes na sociedade. Ao contrário do que pode parecer, o data fabric não é uma fábrica de dados, mas sim, uma teia/malha que sistematiza dados oriundos de diferentes plataformas de captação.

Isso resulta em uma integração flexível de dados entre plataformas e usuários de negócios.

Com um data fabric, gestores podem ter acesso às informações com segurança, agilidade e precisão, auxiliando na tomada de decisões mais eficientes.

- Hiperautomação:

Na automação, que já conhecemos bem, o processo depende da tomada de decisões de colaboradores. Nesse caso, o profissional responsável insere uma série de tarefas para que um determinado programa as execute.

Já na hiperautomação, o próprio software identifica eventuais gargalos e ajusta suas premissas de modo que o processo se torne mais eficiente.

Podemos dizer que hiperautomação é a união da automação de processos, introduzindo a IA e o Machine Learning nas atividades.

Como ela é aplicada?

Após uma ação ser automatizada, a ação é iniciada e a máquina irá iniciar a coleta de dados. Depois disso, a inteligência artificial analisa esses dados e o machine learning aplica melhorias no processo.

- Metaverso:

Apesar de ainda observarmos a tecnologia como algo distante, é preciso entendê-lo como o próximo estágio evolutivo da internet.

O metaverso pretende simular muito mais que uma cidade ou ambiente, a ideia é permitir que os usuários tenham a liberdade de criar seu próprio mundo, desenvolver projetos, realizar conferências e interagir umas com as outras, num contexto tanto pessoal como profissional.

No momento, é difícil entender como tudo isso irá impactar os negócios, porém, da forma como foi atualmente, a evolução da internet ampliou as formas de se fazer negócios e é possível imaginar que não será diferente com a chegada do metaverso.
Como agir agora?

Enquanto ele não chega, é preciso investir ainda mais em IoT, para que dados sejam coletados e estudados. Além disso, é importante pensar em estratégias baseadas na nuvem e também nas infraestruturas de conectividade e TI.

Podemos notar que algumas dessas tecnologias são mais atuais que outras, e, como no caso do metaverso, ainda precisam ser desenvolvidas para que aproveitemos o máximo que ela pode oferecer.

É preciso que os negócios estejam preparados e cada vez mais atentos para implementar essas tecnologias, é claro que desde que façam sentido à rotina das equipes e processos dentro da organização.

Nada melhor do que analisar cada caso individualmente e entender o que se aplica ou não e tirar o melhor proveito dessas tecnologias.