Cibersegurança: um desafio para as empresas brasileiras.

De acordo com a consultoria alemã Roland Berger, o Brasil pulou do 9º para o 4º lugar no ranking de países que mais sofrem ataques cibernéticos. Estima-se que a cada segundo ocorre uma tentativa de ataque a uma empresa brasileira.

Com os avanços da transformação digital no país, os negócios têm se tornado cada vez mais conectados, chegando a um número maior de pessoas e lugares, por outro lado, com um risco cada vez mais elevado.

Um forte agravante para toda essa situação foi o cenário que vivemos nos últimos anos. Milhões de pessoas que trabalham em suas casas e, na maioria das vezes, sem a estrutura necessária para garantir a segurança das informações que circulam em seus dispositivos. Tornando-os presa fácil para os cibercriminosos.

O que seriam esses ataques?

Ciberataque ou ataque hacker é um conjunto de ações dirigidas contra um sistema de informação com o intuito de prejudicar pessoas, empresas ou instituições. Normalmente essas ações anulam serviços, espionam informações, roubam dados e em alguns casos tentam extorquir as vítimas.

Como ocorrem?

A forma mais comum é feita através de um malware, um vírus criado para danificar dados e roubar informações. Esse tipo de programa pode infectar uma máquina de algumas formas:

Anexos maliciosos que são enviados através de e-mails falsos, fingindo ser funcionário da empresa ou de serviços contratados.

Disparo de milhares de requisições, com o objetivo de derrubar os serviços de uma empresa. Conhecido como DDoS.

Sendo o primeiro o mais comum e mais perigoso, pois os criminosos utilizam como vantagem o uso de engenharias sociais, aproveitando a curiosidade, confiança, medo e até a ganância dos usuários como forma de acessar as informações e utilizá-las para benefício próprio.

Podemos ver alguns exemplos de e-mails enviados a usuários na tentativa de infectar seus respectivos dispositivos:

  • Golpe da atividade suspeita no cartão de crédito.
  • Alerta de alteração em dados cadastrais do e-mail.
  • Faturas de serviços atrasadas.
  • O número de golpes são incontáveis.

Quais os principais desafios encontrados por empresas brasileiras?

Um dos principais desafios é conscientizar essas empresas sobre a importância de investir em segurança, independente do tamanho do negócio.

Esses incidentes afetam empresas de todos os portes, dos mais diversos setores e além de prejuízos financeiros, também têm influência negativa na reputação das marcas.

Além da negligência, outro fator preocupante é o crescimento exponencial das ameaças. À medida que a tecnologia evolui, os ataques tornam-se mais sofisticados e prejudiciais.

Como dar os primeiros passos para evitar esse tipo de ataque?

Infelizmente, nada é 100% garantido, mas algumas ações podem ser adotadas de forma imediata para que as empresas fujam da triste estatística de negócios prejudicados por cibercriminosos. Alguns exemplos são:

  • Garantir a proteção de arquivos críticos através de Backups dos dados.
  • Não expor dados de clientes e evitar guardá-los em sites, por exemplo.
  • Utilizar redes seguras.
  • Treinar constantemente colaboradores sobre como agir ao notarem atividades suspeitas.
  • Adotar uma política de segurança.
  • Não negligenciar a instalação de bons softwares de proteção.
  • Manter sistemas atualizados.

Existem outros pontos a serem adotados, como equipes de TI treinadas para reação rápida em caso de tentativas de invasão ou a adoção de softwares como o MDM, que permeia controles de acesso dos dispositivos, limitação de uso, instalação ou remoção de aplicativos e outras funções.

A todo momento os criminosos se aperfeiçoam e por isso é preciso manter-se atento e pronto para reagir aos possíveis ataques.

No Brasil, não se fala mais sobre “se uma empresa sofrerá com um ataque hacker”, mas sim “quando ela irá sofrer”. Por isso, é necessário buscar as melhores estratégias e soluções para manter os dados e informações protegidos.