fbpx
gestao telecom

gestao telecom

Planejamento empresarial 2020: veja como elaborar um plano efetivo

Estabelecer um planejamento empresarial em 2020 é o primeiro passo para que sua empresa seja bem-sucedida nesse novo ciclo. Alguns dos requisitos básicos para que o planejamento estratégico funcione são disciplina e muita análise, especialmente de dados produzidos pelo seu próprio negócio no exercício anterior.
O resultado contribui para o crescimento da empresa e para o estabelecimento de diretrizes mais acertadas, o quadro gerencial tem mais segurança para assumir novas oportunidades e o operacional fica mais motivado e produtivo.
Neste artigo, então, discutimos quais ações permitem essa análise e a postura mais adequada para encontrar esse caminho de crescimento. Confira!

Avalie os resultados da empresa e pense de forma estratégica

Nenhuma empresa consegue crescer sem avaliar seus resultados anteriores. É preciso olhar pra trás para identificar erros que devem ser corrigidos, gargalos que precisam ser combatidos e forças que, ao serem potencializadas, aumentam as chances de sucesso de qualquer empreitada.
Para tal, dados retirados do próprio sistema de gestão podem servir como base de análise. Crie relatórios comparativos entre períodos de sazonalidade, de alta e baixa performance. Além disso, reveja questões como:

  • missão e valores organizacionais — a forma como sua empresa se posiciona em relação a questões internas e externas, além da imagem que transmite para seu público;
  • necessidade de terceirização de funções internas, prestações de serviços ou de setores inteiros para reduzir a responsabilidade crítica e os custos operacionais;
  • cliente potencial — com base nos consumidores atuais crie uma lista de características que descrevem sua persona. Por meio desse perfil, é possível concentrar os esforços e melhorar os resultados;
  • posicionamento de marca no mercado, estratégias de marketing e de criação de conteúdo para estreitar as relações com os clientes;
  • plataformas e ferramentas utilizadas em processos — são recursos que ajudam (e muito) a potencializar seus resultados, especialmente no contexto atual, altamente digital.

Estabeleça objetivos claros para o seu planejamento empresarial 2020

É preciso pensar de forma estratégica para estabelecer objetivos tangíveis, que estejam adequados ao momento da empresa, sua capacidade de produção e/ou de pagamento e que, ao serem assumidos, não criem problemas e sim oportunidades de crescimento do negócio.
O próximo passo do planejamento empresarial 2020 compreende o estabelecimento desses objetivos. A ferramenta SMART é uma excelente forma de começar (Specific, Menssurable, Achievable, Realistc e Time-based).
Ela ajuda a direcionar o estabelecimento dessas metas, que devem ser específicas, mensuráveis, realizáveis, realistas e oportunas, com base em uma análise anterior de resultados paralela à avaliação de tendências para o negócio e oportunidades de mercado.
Em seguida, é preciso determinar quais recursos serão necessários para tirar esses objetivos do papel. Há capital de giro? Poderão ser usados recursos próprios ou será preciso usar capital de terceiros? Todas essas questões financeiras devem ser avaliadas antes de tomar qualquer decisão.

Revise questões internas e externas

Existem ferramentas que aumentam a efetividade dessa análise. A matriz SWOT — Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) — é um modelo que permite visualizar todas essas características do negócio.
A simplicidade dessa ferramenta permite o seu uso em diferentes contextos, desde a implementação de uma nova estratégia até a avaliação de um cenário atual. A técnica, criada por Albert Humphrey entre as décadas de 1960 e 1970, é usada até os dias atuais de forma sistemática.
As forças compreendem todas as características internas que podem ser usadas em favor da empresa em relação aos seus concorrentes, como o valor agregado a um produto ou baixo custo de produção. Diferentemente das fraquezas, que podem caracterizar falhas — por exemplo, processos produtivos inadequados aos parâmetros de sustentabilidade.
Em âmbito externo, as oportunidades são pontos positivos que agregam valor ao negócio, como a preferência da marca pelos clientes em um contexto mais amplo ou a saída de um concorrente direto do mercado. Já as ameaças, são requisitos que devem ser minimizados, como a perda de talentos que poderiam melhorar a produtividade da empresa.

Defina prazos alcançáveis para os objetivos estabelecidos

Essa questão, que já foi abordada como o último requisito da ferramenta SMART (time based), deve ser pensada com mais critério e, por isso, será novamente discutida. Sua importância é grande porque permite avaliar o desempenho em ciclos, para correção da estratégia ou estabelecimento de novos métodos de crescimento.
Existe uma regra simples para a definição desses prazos, que devem ser divididos em três categorias:

  1. curto (3 a 6 meses);
  2. médio (1 a 3 anos);
  3. longo (até 5 anos).

Cada objetivo estabelecido deve ser alocado para seu respectivo prazo e eles podem ser alterados conforme forem atingidos, sempre observando se está condizente com o período especificado para aquela meta.

Crie métricas e indicadores para acompanhar os resultados

O monitoramento deve ser constante e, como o próprio nome diz, indica quais ações devem ser tomadas em um próximo ciclo. As métricas são índices que devem ser contextualizados, para mensurar um objetivo específico, como a taxa de cliques no site institucional da empresa.
Já por meio de KPIs (Key Performance Indicators) é possível avaliar qualquer estratégia e seus resultados, o desempenho de pessoas e processos. Eles também precisam ser criados de forma personalizada, pois nem sempre um indicador é adequado ao contexto atual da empresa.
A ferramenta SMART também pode ser usada para a criação de KPIs e eles também devem ser atualizados periodicamente. Abaixo, listamos alguns dos principais indicadores organizacionais:

  • Net Promoter Score (NPS), ou índice de lealdade dos clientes;
  • churn (evasão de clientes);
  • turnover (rotatividade de funcionários);
  • Return on Investment (ROI) ou retorno sobre o investimento;
  • lucratividade do negócio;
  • conversão do funil de vendas;
  • CAC ou custo de aquisição de clientes;
  • Lifetime Value (LTV) ou receita média do cliente;
  • volume e ticket médio de vendas;
  • Order Cycle Time (OCT) ou ciclo do serviço;
  • acuracidade de inventário;
  • ponto de equilíbrio;
  • taxa de endividamento;
  • produtividade por colaborador.

Como última premissa para um planejamento empresarial em 2020 de sucesso, a adoção de tecnologia pode ser a principal aliada para promover agilidade, redução de custos e desburocratização de processos. Apesar disso, é preciso adaptar pessoas e os demais elementos em âmbito organizacional, para se adequar com a mesma rapidez com que o mundo digital se transforma.
Por esse mesmo motivo, o planejamento estratégico também deve quebrar paradigmas e encorajar toda a base organizacional. As pessoas devem se manter dinâmicas, motivadas e criativas. A congruência de todos esses elementos e ações culmina com produtividade e a competitividade da empresa no mercado.
Assim, dê uma olhada em nosso post sobre como a terceirização da gestão de telecom pode ser decisiva nesse processo.

WhatsApp (11) 93023-8494