fbpx
original bfadedcab

original bfadedcab

Entenda agora mesmo o que é e como funciona a política de BYOD

Os departamentos de TI lutam para acompanhar as mudanças da tecnologia e conhecer as novas tendências que estão despontando no meio empresarial. Exemplo disso é o BYOD, uma prática que ganha cada vez mais popularidade nas companhias e traz benefícios para gestores e funcionários.
Porém, se você ainda não sabe do que se trata o BYOD, não se preocupe! Neste artigo explicaremos o que é essa política, como ela funciona, quais são as suas vantagens, entre outros pontos relevantes. Continue conosco e confira tudo isso agora mesmo!

Afinal, o que é BYOD e como essa política funciona?

A expressão Bring Your Own Device (BYOD), se traduzida para o português, significa “traga o seu próprio equipamento”. Trata-se de uma metodologia cada vez mais utilizada nas empresas de todo o mundo, em que os próprios funcionários levam os equipamentos necessários para o seu trabalho.
Dispositivos como notebooks, smartphones, tablets, entre outros, deixam de ser uma responsabilidade das companhias. De tal maneira, os funcionários passam a utilizar os seus equipamentos pessoais para trabalhar.

Quais são as principais vantagens do BYOD?

As vantagens do BYOD são diversas e não abrangem apenas as empresas e os responsáveis pela área de TI, mas todos os colaboradores da companhia.
Veja, a seguir, os benefícios que são obtidos ao desenvolver essa política nas organizações!

Aumento da produtividade

Os funcionários se sentem mais motivados a executarem as atividades de trabalho quando utilizam os seus próprios equipamentos. Além disso, eles já têm pleno conhecimento do dispositivo, como ele funciona, onde estão armazenados os arquivos e os ícones de abertura dos programas etc.
Tudo isso faz com que a produtividade seja aumentada e os trabalhos realizados mais rapidamente. Assim, são evitados os atrasos nas entregas das equipes.

Diminuição de custos

Quando adota a política do BYOD, a empresa terá uma diminuição significativa de custos. Isso porque não será necessário fazer o investimento em novos dispositivos.
Uma companhia que trabalha com vendedores que atuam nas ruas, por exemplo, precisa fazer um grande investimento para que cada um deles tenha um notebook e um smartphone para realizar o seu trabalho, por exemplo. Com o BYOD, esse gasto deixa de ser uma preocupação.
A diminuição de custos também está relacionada com a manutenção. A empresa deixa de ser responsável pelo conserto dos equipamentos, caso eles falhem ou apresentem qualquer tipo de defeito.

Maior comodidade

Os funcionários terão mais comodidade ao utilizarem os seus próprios dispositivos para desenvolver os seus trabalhos. Esse conhecimento, conforme explicamos, gera um aumento da produtividade.
Imagine, por exemplo, um funcionário que sempre usou iPhone. Se essa pessoa precisar utilizar um celular que não seja de Apple e não tenha o sistema iOS, mas sim o Android, poderá ter problemas de adaptação. Isso não acontece quando se pratica o BYOD.

Mobilidade

Utilizando tecnologias como o Cloud Computing, o BYOD possibilita que se tenha mobilidade para desenvolver o trabalho. Trata-se, portanto, de um método de trabalho que é bastante propício para o desenvolvimento do home office.
Além disso, os colaboradores poderão trabalhar em coworkings, em hotéis ou em qualquer lugar que for necessário, desde que haja conexão com a internet.

Aumento da motivação

A prática do BYOD também gera motivação para que o trabalho seja desenvolvido. Usar os próprios equipamentos para realizar as suas atividades, funciona como se o colaborador levasse um pedacinho da sua casa para a empresa.
Isso gera um sentimento de pertencimento, um conforto para trabalhar. O resultado é o aumento da motivação. Com colaboradores mais motivados, certamente o trabalho por eles desenvolvido apresentará mais qualidade.

Gestão eficiente

Quando o BYOD é aplicado na empresa, não são apenas os colaboradores de nível operacional que são beneficiados. Os gestores também poderão utilizar os seus próprios equipamentos e ter liberdade para levar o seu trabalho aonde for.
De tal maneira, as tomadas de decisão não se limitarão às paredes da empresa. É possível agir de maneira estratégica em qualquer local em que estiver, como em viagens a trabalho ou compromissos externos.

Como a empresa pode controlar o acesso ao BYOD?

Apesar de ter muitos pontos positivos, o BYOD também tem um lado sombrio. Entre eles, está a segurança das informações. O colaborador terá dados sigilosos da companhia em equipamentos pessoais e cuidados devem ser tomados nesse sentido.
É imprescindível que a empresa utilize sistemas com senhas e oriente os colaboradores a sempre se desconectarem dele quando o horário de trabalho encerrar. Além disso, as companhias devem exigir que os funcionários utilizem bons antivírus nos dispositivos pessoais utilizados para o trabalho. De tal maneira, se evitam vazamentos por conta da invasão de hackers, por exemplo.
Outro ponto obscuro do BYOD está nas questões trabalhistas. Como utilizam equipamentos pessoais, alguns colaboradores podem trabalhar fora do horário acordado, até mesmo por inocência.
Responder um e-mail sobre um assunto de trabalho fora do horário comercial já configura em uma ação trabalhista, que o funcionário pode mover contra a empresa, se um dia for demitido.
Além disso, corre-se o risco de a fronteira que separa vida profissional e pessoal se quebre. Da mesma forma que, involuntariamente, o funcionário responderá mensagens de trabalho em seus horários de folga, ele poderá perder tempo resolvendo questões pessoais no período de expediente.
Para resolver questões como essa, é recomendado o uso de softwares controladores. Atualmente já existem sistemas que bloqueiam aplicativos por determinados períodos, por exemplo. Soluções como o Mobile Device Management (MDM) fazem com que o cliente possa criar políticas de segurança como a conteinerização (dividir o celular em dois ambiente, pessoal e profissional), regras de senhas; controle de acesso a apps e outras.
Assim sendo, a empresa pode definir que os colaboradores só possam acessar softwares utilizados no trabalho e e-mails corporativos nos horários para os quais prestam serviços à organização.
Isso evita também que os funcionários levem trabalho para casa, o que pode gerar um desgaste físico e emocional para eles.
O BYOD é uma prática que sempre divide opiniões. Muitos empresários e gestores de TI são a favor da prática, enquanto outros pensam que é do contratante a responsabilidade de fornecer os equipamentos. Por isso, convém que se avalie os prós e contras para decidir o que fazer na sua empresa.
Caso opte por adotar o BYOD, fazer uma boa gestão de telecom é essencial. Saiba mais em nosso artigo sobre esse assunto.

WhatsApp (11) 93023-8494